Tudo sobre o Seppuku, o ritual de suicídio japonês

13/09/18 às 19h38

O Japão é um arquipélago de 6.852 ilhas e tem a décima maior população do mundo. A terra do sol nascente é cheia de mistérios para nós ocidentais, além de tradições e costumes que nos são estranhos ou não fazem muito sentido. Mas cada cultura tem seus próprios ritos que devem ser respeitados. Um fato muito conhecido do Japão é sua alta taxa de suicídio. E essa prática tem origem milenar.

Um desses ritos é conhecido como seppuku. Ele está no código de honra dos samurais e é um ritual de suicídio. A palavra significa cortar o ventre e para nós do ocidente o mesmo ritual tem o nome de harakiri, onde os samurais guerreiros tiravam a própria vida pela pátria, amor e honra. Ele é feito em casos de falha do samurai como perder uma guerra ou falhar com seu mestre, por exemplo.

Esses guerreiros são conhecidos por ter apenas um mestre na vida toda. Em teoria, como prova de lealdade ao seu mestre, quando este morresse o samurai deveria praticar o seppuku. Caso ele não fizesse isso, o samurai em questão se tornaria um guerreiro sem mestre, o que é um dos títulos mais desonrosos para alguém possuir.

Ritual

O ritual surgiu no Japão no século XII para que os guerreiros mostrassem sua lealdade aos seus senhores feudais. E até 1868 essa prática permaneceu como oficial entre os guerreiros japoneses.
Como todos os rituais, o seppuku também tem suas especificações que deveriam ser seguidas pelos samurais que o praticassem.

Depois de purificar o corpo e escrever um último poema, com uma espada pequena, o samurai devia perfurar o abdômen fazendo um corte na barriga da esquerda para direita. Quando a espada estivesse no centro do corpo, o samurai deveria fazer um golpe brusco para cima. O corte era feito porque eles acreditavam que estavam cortando o centro de suas almas, onde o espírito das pessoas e suas emoções estão.

Último golpe

Com esse corte na barriga, poderia levar horas até que o samurai morresse de fato, então uma segunda pessoa sempre participava do ritual. Conhecido como kaishakunin, esse participante podia ser um amigo fiel ou um inimigo do guerreiro que poderia dar um golpe de misericórdia para que o samurai morresse de fato.

Adeptos

Essas são algumas pessoas importantes do Japão que foram adeptos ao ritual O samurai Kusunoki Masashige cometeu seppuku depois que o imperador a quem ele servia ignorou seus conselhos durante uma guerra. Isso fez com que a batalha fosse perdida. O general Akashi Gidayu cometeu harakiri pelo seu mestre, após este ter perdido uma batalha em 1582. E Yukio Mishima, um novelista e escritor, cometeu seppuku após tentar dar um golpe de Estado e não ter tido sucesso.

VER COMENTÁRIOS
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
COMPARTILHAR INSCREVA-SE
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.