Se seu parceiro faz alguma dessas 7 coisas, FUJA imediatamente

21/08/17 às 23h14

Relacionamentos abusivos acontecem com mais frequência do que imaginamos. Isso porque o parceiro(a) dominante (os que abusam) são indivíduos dotados de inteligência manipuladora e muitas vezes, a pessoa mal tratada não consegue perceber que está envolvida e presa dentro desse tipo de relacionamento. Assim, como o comportamento não é identificado, é como se ele não existisse, e assim o ciclo de violência é perpetuado.

Segundo a psicóloga Brenda Rocco, em entrevista ao jornal A Tarde, "uma relação abusiva é aquela onde predomina o excesso de poder sobre o outro".

Ou seja, essa pessoa não precisa ser agredida fisicamente, basta que ela "invada o seu espaço, sua privacidade, comece a mandar nas suas escolhas, limite o seu contato com outras pessoas e use de qualquer poder [...] para te coagir", a psicóloga explica.

Quando você reclama de algo, você está exagerando ou sendo sensível demais? Seu relacionamento como um todo pode até não ser abusivo, mas essa atitude é e deve ser podada logo no princípio.

Com base na campanha governamental #NãoéAmorQuando realizado pela "Secretaria de Políticas" a Fatos Desconhecidos traz para você uma lista com sinais de comportamento abusivo para ajudar as pessoas a identificarem relacionamentos deturpados.

Veja se você se identifica com um ou mais tópicos dessa lista:

1 - Você é constantemente humilhada(o)

O seu parceiro(a) faz piada em relação à sua aparência ou tudo que você fala, pensa e/ou sente, não apenas quando estão a sós, mas diante de terceiros e até familiares. Pense bem: uma brincadeira contada mil vezes perde a graça.

Não é você que não tem senso de humor ou é sensível demais, é essa pessoa ao seu lado que está te humilhando, propositalmente. E esconde seu comportamento abusivo dizendo que é apenas uma "brincadeira", como se não fosse nada.

Ou por outra: se os seus sonhos, projetos e planos são motivos de chacota. E todas as suas conquistas não são comemoradas, você precisa se questionar qual o motivo que uniu você à essa pessoa.

Afinal, seu companheiro(a) torce por você ou prefere ver o seu fracasso, para que você seja eternamente dependente dele(a)?

2 - Você está sempre errada(o)

Se toda vez que você expressa ou tenta expressar sua opinião você é interrompida(o), chamada(o) de louca(o) ou burra(o). Não aceite esse comportamento.

Com o passar do tempo, todo relacionamento abusivo tende a naturalizar as atitudes opressivas.

Perceba: se você pensa mil vezes antes de abrir a boca para emitir sua opinião, se você coloca essa pessoa num pedestal de inteligência e você como o "estudante" que tem que ouvir tudo calado(a)...

Esse relacionamento não está balanceado, e não faz bem para a sua saúde, bem como, para a sua felicidade.

3 - Você tem medo da reação dele(a)

Se você deixa de fazer alguma coisa por medo da reação do seu parceiro(a) ou faz coisas contra sua própria vontade, entenda que esse relacionamento está minando a sua própria liberdade.

Existe uma grande diferença entre fazer concessões, tomar decisões em comum acordo, e ser oprimido apenas pela ideia de desagradar o seu companheiro(a).

O medo nos aprisiona, e se você tem medo da reação do seu parceiro(a), isso significa que essa pessoa é frequentemente agressiva e/ou violenta.

4 - Você é controlado(a)

Se você precisa pedir permissão para todas as suas ações, mesmo as mais banais, e costuma ouvir com frequência um "não". Se até mesmo os seus gastos financeiros são controlados...

E mesmo quando você deixa de ir ou de fazer o que deseja, apenas o questionamento é motivo para discussões terríveis...

Pense outra vez: você é parceiro dessa pessoa - e isso significa companheirismo e compreensão - ou ela é seu dono e está tomando posse da sua independência?

5 - Você simplesmente não é feliz

Quem disse que o amor é apenas sorrisos? Nem sempre. O amor é dificultoso, também dói e pode magoar.

Mas será que isso é mesmo amor? Talvez você apenas esteja dando um nome errado para o seu sentimento.

Você acredita que ama essa pessoa, e sabe que um relacionamento envolve todo tipo de adversidade. Mas o amor também é alegre, também inspira confiança e felicidade.

E esses momentos são raros, ou praticamente inexistentes para você, ao ponto de você ficar feliz apenas quando o outro está satisfeito, ou quando não há brigas durante o dia.

Você precisa se perguntar porque vive sempre tão tensa(o), com medo e triste pelos cantos. Insistir na dor também mostra que você precisa de ajuda e que esse relacionamento está fadado ao fracasso.

6 - A culpa é sempre sua

Se essa pessoa foi agressiva, se ela reagiu mal em determinada situação, a culpa é sua. É isso que parceiros(as) abusivos fazem para manipular a situação.

Em um relacionamento assim nem sempre é fácil enxergar a realidade. Tendemos a acreditar na mudança das pessoas e esperar o melhor delas, por causa do "amor".

Mas a verdade é que você não pode esperar por essa mudança. Além de perigoso, esse tipo de relacionamento deixa marcas profundas que podem se arrastar por anos, mesmo após a separação.

Não podemos forçar a mudança no outro. Essa mudança só acontecerá quando acontecer por vontade própria.

Fuja desse tipo de relacionamento. Ele não faz bem a você, incentiva a perpetuação do comportamento abusivo do outro, e afeta todas as outras pessoas ao seu redor.

Você merece mais.

6 - Essa pessoa te agride fisicamente

O mais comum são os relacionamentos abusivos verbalmente e psicologicamente, isso porque eles tendem a passar despercebidos.

Mas se você já chegou no ponto em que seu parceiro(a) te agride fisicamente, fuja! Procure apoio das autoridades e busque refúgio com os familiares e pessoas de confiança.

O próximo estágio desse ciclo de violência pode ser fatal. Não se engane, essa pessoa passou de todos os limites, não demonstra o mínimo de respeito por você e a próxima vez pode ser a última.

Se esse indivíduo fez uma vez, ele é capaz de duas, três... e assim por diante.

O ideal seria reconhecer o comportamento abusivo do seu parceiro(a) logo nos primeiros sinais de agressividade e violência, mas nem sempre isso acontece e a tendência é deixar que o relacionamento se arraste como uma teia viciante de dor e sofrimento.

Quanto mais você é enrolado nessa teia, mas difícil fica para se livrar dela.

As mulheres sofrem mais com esse tipo de comportamento, devido à cultura machista propagada ao longo de milhares de anos.

Além de mais sensíveis fisicamente, elas estão mais expostas à violência doméstica e relacionamentos abusivos devido a própria cultura, o meio, e a sociedade em que foram criadas.

Mas é preciso reconhecer que há exceções e que relacionamentos podem ser abusivos das duas partes. Não interessa o gênero, se você se identificou com um ou mais itens dessa lista, fuja! Não insista no erro.

O amor é melhor do que isso e você merece estar com uma pessoa que reconheça o seu valor, a sua liberdade e te admire do jeito que você é. E vice-versa.

Não esqueça de deixar o seu comentário pontuando outros itens a fim de aumentar ainda mais essa lista.

Se você já foi vítima de um relacionamento abusivo, e se sentir confortável, divida a sua história para que outras pessoas também possam identificar novos detalhes.

Além disso, compartilhe essa matéria com outras pessoas, nunca se sabe se elas estão passando por isso e precisam da sua ajuda nesse momento. Não se cale!

Ana Luiza Andrade
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
COMPARTILHAR INSCREVA-SE

VER COMENTÁRIOS

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.