Se a Coreia do Norte jogasse um míssil esses seriam os países afetados

25/04/17 às 19h21

A tensão na península da Coreia alcançou um ponto que talvez nunca tenha sido visto na região desde a Guerra da Coreia, na década de 1950. Com o comportamento explosivo e inesperado do líder norte-coreano Kim Jong-un, as provas de poderio nuclear e o lançamento e desfile de mísseis nucleares, a Coreia do Norte se consolidou como uma ameaça real à região.

Desde que chegou ao poder em 2011, com a morte de seu pai, Kim Jong-il nunca mediu esforços no investimento da capacidade militar do país. Recentemente, na celebração de 105 anos do nascimento do líder do fundador da dinastia vigente, (Kim Il-sung, avô de Kim Jong-un), a Coreia do Norte apresentou um total de 56 mísseis de 10 classes diferentes e declarou estar pronto para uma guerra.

"Estamos prontos para responder a uma guerra total com uma guerra total e estamos prontos para responder com ataques nucleares a qualquer ataque nuclear", declarou Choe Ryong Hae, vice-presidente da Comissão dos Assuntos de Estado, segundo na hierarquia do país.

Armamentos

De acordo com informações do governo dos Estados Unidos, o exército da Coreia do Norte conta com ao menos mil mísseis capazes de atingir alvos nas proximidades, como Coreia do Sul e Japão. Por conta disso, as duas nações receberam alertas perante a situação. Não só os dois países asiáticos foram alertados, mas unidades do exército russo também estão de prontidão. Militares chineses realizaram exercícios militares perto da fronteira norte-coreana, mas o governo negou que esteja em alerta máximo.

Após os desfiles militares realizados na Coreia do Norte, especialistas tentaram desvendar o que poderia estar sendo apresentado. A principal suposição é de que os armamentos apresentados incluam novos mísseis intercontinentais, ou ao menos protótipos. Dentre os mísseis apresentados, também estaria o Pukkuksong, um míssil já testado com sucesso em agosto.

Além disso, de acordo com Chad O'Carroll, diretor de serviço especializado NK News, os foguetes presentes no desfile eram maiores do que os atuais KN-08 e KN-14. O'Carroll sugeriu que eles podem ser mísseis intercontinentais de combustível líquido, o que "Seria um grande ponto de virada uma vez implantado."

Alvos

Um estudo da Fundação Heritage apontou que os mísseis da Coreia do Norte seriam capazes de alcançar distâncias de até quase 10 mil quilômetros, o que seria suficiente para alcançar facilmente regiões do Canadá e dos Estados Unidos. A mesma fundação também apresentou mapas que mostram o alcance das principais armas dos norte-coreanos.

Considerando os armamentos mais poderosos da Coreia do Norte que conhecemos até agora, os alvos mais ameaçados seriam os que estão próximos do país, mas isso não quer dizer que os distantes estariam livres. Mísseis como o Teapodong podem viajar até 10 mil km, alcançando praticamente toda a Europa e grande parte dos Estados Unidos, livrando regiões da costa leste e do sudeste do país. Tirando a América Latina e a maior parte da África, todo o país poderia ser atingido pelos armamentos em posse do governo de Kim Jong-un.

Ameaça

Apesar do poder alcançar a maior parte do mundo, os alvos mais prováveis para a Coreia do Norte, a princípio, seriam seus principais adversários político. Nessa lista, podemos incluir Coreia do Sul, Japão, China e Estados Unidos. Naturalmente, com o avanço de um conflito de proporções maiores e a entrada de novas peças, qualquer participante se tornaria um alvo em potencial.

Além disso, a Coreia do Norte possui uma liderança imprevisível e nos últimos anos, com seus testes de mísseis e armas frequentes, mostrou uma clara intenção de se tornar uma das maiores potências militares do mundo.

O Dr. Alan Mendonza, diretor executivo da Sociedade Henry Jackson, especializada em segurança, declarou que o risco para uma guerra nuclear é realmente possível sob a liderança de Kim Jong-Un. "Ninguém sabe as suas intenções e como lidar com ele realmente. Existe um perigo real de que ele comece algo na Coreia do Norte que pode acabar afetando os países vizinhos", explicou.

Aproveite para ler mais sobre a possibilidade da Terceira Guerra Mundial e tudo que você precisa saber sobre esse assunto.

Será mesmo que a Coreia do Norte está pronta para encarar as maiores potências do mundo e mostrar o seu poder militar? A nós, só resta aguardar e torcer para que o estrago mundial seja o menor possível.

PH Mota
Jornalista que é um encontro Monty Python e A Praça É Nossa.
COMPARTILHAR INSCREVA-SE

VER COMENTÁRIOS

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.