Qual é o caminho que os alimentos fazem dentro de nosso organismo?

20/04/17 às 15h22

Todo mundo ama comida. Talvez você possa dizer que não é daqueles que adora visitar restaurantes ou fazer verdadeiros banquetes, mas tem ao menos um prato favorito que provoca as melhores sensações possíveis, não só em sua boca, mas em todo o corpo.

Isso acontece porque nós relacionamos os sabores a experiências positivas, lembranças e momentos especiais, além das vantagens que as comidas oferecem para a nossa saúde e o funcionamento do nosso corpo. Mas quando comemos, o que realmente acontece com todo o alimento dentro do nosso corpo?

A digestão é o processo responsável por transformar a comida da forma que conhecemos para uma outra que o corpo consiga processar a absorver, distribuindo nutrientes e realizando as funções vitais. Para que isso aconteça, o processo é realizado de duas formas diferentes: a digestão mecânica e a digestão química.

A mecânica começa na boca, a partir da mastigação e da quebra dos alimentos pelos dentes. O processo continua no esôfago, estômago e intestino, onde os músculos dos órgãos ajudam a empurrar a comida e quebrá-la em partes menores. Já a digestão química acontece durante todo o processo, com a liberação de enzimas e outras substâncias que ajudam a quebrar as partículas dos alimentos e absorver os nutrientes e a anergia.

Antes de comer

Antes mesmo de colocar a comida na boca, a aparência e o cheiro dela já inicia o processo de digestão. Somente ao perceber uma comida a partir da visão ou do olfato já envia sinais para o cérebro, preparando o corpo para receber aquele alimento. É nesse momento que o corpo produz mais saliva, para ajudar a digestão na boca, contrai o estômago e faz o intestino liberar compostos que vão ser importantes durante todo o processo.

Iniciando o processo

Assim que o alimento entra na sua boca, a digestão começa o seu primeiro grande passo após a preparação do corpo com os primeiros sinais. É nesse momento que os dentes realizam a mastigação e quebram o alimento em partes menores e a saliva ajuda a compactar todos os pedaços num bolo digestivo lubrificado.

A saliva também é importante porque contém enzimas que ajudam a digerir os alimentos quimicamente, e não só a partir da quebra causada pelos dentes. É aqui que começa a digestão dos carboidratos.

Aqui também a língua exerce uma importante função na hora de ajudar a manipular a comida e empurrá-la pelo esôfago. Dentro do tubo digestivo, os músculos do esôfago ajudam a empurrar os bolos de alimentos em direção ao estômago.

Digestão no estômago

Primeiramente já devemos deixar claro que o estômago não está onde a maioria das pessoas pensam. Muito provavelmente, você acredita que seu estômago está na altura de seu umbigo, quando na verdade está localizado mais acima e mais a esquerda, sobre a cintura e atrás das costelas.

No estômago, assim como no esôfago, os músculos se contraem para empurrar e quebrar a comida ainda mais. Além do exercício mecânico, existe a liberação de sucos estomacais - uma mistura de ácidos, muco e enzimas - que digerem proteínas e gorduras.

Nesse momento, o que você ingeriu como comida já está numa forma bem diferente. Aqui, todo aquele alimento meticulosamente preparado é uma massa semilíquida, branca e ácida chamada de quimo. Com a formação do quimo, o estômago empurra o conteúdo para o intestino, onde o processo vai ser finalizado.

Absorvendo nutrientes

Numa pequena área que ocupa mais ou menos o espaço da palma de sua mão aberta sobre sua barriga, existem cerca de 6 a 9 metros de intestino enrolados e organizados dentro deu seu corpo. Aqui, como já vimos nos órgãos anteriores, a contração dos músculos é fundamental para a continuação da digestão.

Aqui, os compostos liberados pelo pâncreas, pela bile e pelo próprio intestino ajudam a digerir os carboidratos e as proteínas, além de criar uma emulsificação das gorduras, misturando tudo em líquidos. A liberação dos ácidos e a contração dos músculos do intestino permite que as paredes do órgão possam absorver açúcares, aminoácidos, gorduras, vitaminas e minerais, tudo que será utilizado pelo corpo.

Depois que praticamente tudo de útil foi retirado dos bolos digestivos, o resto do alimento é enviado para o intestino grosso, onde tudo vai chegar ao fim.

Fim da linha

Seu intestino grosso funciona como uma grande esponja que serve apenas para absorver os líquidos que ainda estão nos bolos digestivos que chegam até aqui. A remoção do líquido forma um resto de dejetos que nos conhecemos como fezes, ou cocô. Mais uma vez, a contração muscular é fundamental para empurrar os alimentos, até que eles estejam prontos para que você coloque todo o conteúdo indesejado e não absorvido para fora, liberando espaço no corpo para que você comece tudo novamente.

E aí, ficou tudo muito claro para você? É claro que em cada um dos processos, podemos fazer análises bem mais profundas sobre a atuação das enzimas e a quebra de cada parte dos alimentos, mas em resumo é isso o que acontece dentro do seu corpo quando desde que você coloca alimentos na boca, até que eles saiam para o vaso sanitário.

PH Mota
Jornalista que é um encontro Monty Python e A Praça É Nossa.
COMPARTILHAR INSCREVA-SE

VER COMENTÁRIOS

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.