Onde são feitas as notas de dinheiro, jornais e placas de carro falsas usadas em Hollywood?

13/09/17 às 16h30

Poderíamos pensar em como um milhão de coisas são feitas para os estúdios de Hollywood, mas vamos falar de coisas interessantes como dinheiro, placas de carro, documentos e até revistas/jornais. É muito comum vermos atores rasgando ou queimando dinheiro, atrizes aparecendo em capas de revistas, personagens com identidade falsa e até mesmo placas de vários lugares do mundo, mas onde diabos essas coisas são feitas?

Uma matéria da BBC mostrou como todas essas coisas são feitas, e a Fatos Desconhecidos mostra para vocês. O escritor James Bartlett fez uma visita e uma das fábricas de material impresso usada pelos grandes estúdios. O dono, Ralph Hernandez, o guiou pela Earl Hays Press, localizada em um prédio em Los Angeles.

De começo, ele se deparou com Jack Nicholson na capa da Times, uma rara lembrança do filme Lacos de Ternura, de 1983. Junto também foi possível ver cópias de romances falsos escritos pela personagem Kathleen Turner, em Tudo por uma Esmeralda, de 1984. Há mais de 100 anos, a Earl Hays Press faz para estúdios impressões como anúncios, cardápios, revistas, mandatos de prisão, entre outras coisas. Talvez você goste da nossa matéria sobre como Hollywood pode acertar na adaptação de animes.

Em geral, os estúdios preferem usar um material fantasia para não gerar problemas de uso de marca ou imagem. E é por esse fato que coisas como dinheiro ou produtos triviais domésticos precisam de um novo design ou logo, pois podem causar sérios problemas para os estúdios.

O começo da empresa

Earl Hays, um homem já falecido, fundou e deu nome a empresa ainda em 1915. Ele iniciou o negócio como uma gráfica em um pequeno estabelecimento em Hollywood. Como Hays era viajante, ele desenhava as placas de cada país que viajava. Desses desenhos saiu a ideia de iniciar o negócio, e partir daí, a gráfica recebeu tantas encomendas de filmes que ele decidiu se especializar no ramo.

Como funciona?

A escolha do material falso geralmente é listada pelo responsável do departamento de arte. Depois de fazer a lista, os clientes podem escolher um material do estoque ou simplesmente fazer uma encomenda. Hernandez diz que as vezes "o roteiro acaba sendo reescrito, e sets de filmagem que foram construídos acabam nem sendo usados."

Um dos diferenciais da empresa são os detalhes, até porque, segundo Hernandez, qualquer pessoa que saiba fazer artes no computador pode ser um concorrente em potencial. Empresas de design e gráficas podem fazer o mesmo trabalho, porém, elas não conseguiriam ter o realismo da produção com tanta rapidez de quem está há anos no mercado. A Earl Hays tem praticamente tudo em mãos.

Hernadez diz que não costuma dar entrevistas por medo de seus produtos irem parar em mãos erradas. Para vocês terem uma ideia, certa vez um diretor encomendou notas de dólares para uma cena de pôquer no filme A Mesa do Diabo (1965), e depois do filme, as notas começaram a aparecer em diferentes cantos do mundo, embora o número de série fosse um só e as chapas tivessem sido assinadas pelo artista da empresa, e não pelo Tesou Americano.

Nesse caso, o Serviço Secreto fez questão que o dinheiro falso e as chapas fossem queimados nos fundos do prédio, enquanto supervisionava o processo. Depois de queimar as notas, o Serviço Secreto recolheu até as cinzas. A empresa possui um grande maquinário antigo de impressão, pois vez ou outra aparece encomendas de coisas antigas, como fontes de uma época específica, xilogravuras, chapas, corantes e prensas pesadas.

A Earl Hays Press é uma das grandes empresas que produzem todo esse material que vemos nos filmes de Hollywood, queridos leitores. Mas e aí, você tinha ideia de onde todo esse material era produzido? Não esqueça de deixar o seu comentário!

Via   BBC     G1  
Mateus Graff
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
COMPARTILHAR INSCREVA-SE

VER COMENTÁRIOS

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.