Estes são os 3 tipos de pessoas que mais traem em relacionamentos, segundo especialistas

13/09/17 às 16h58

Viver um relacionamento pode ser uma das melhores experiências que um ser humano pode ter, mas claro, também pode ser uma das mais difíceis. Não é atoa que muita gente compara um namoro com um jardim que precisa de cuidados, já que da mesma forma, sempre é preciso regar e adicionar pitadas de carinho para que ele consiga sobreviver e ser duradouro.

Quando você encontra alguém que tem os mesmos interesses que você, naturalmente é mais fácil conviver e planejar coisas juntos, mas e quando isso não acontece? Sabe aquele ditado "os opostos se atraem"? Pois é, claro que nada impede duas pessoas completamente diferentes de serem felizes, e pode dar muito certo, mas não dá pra negar que quando existem mais semelhanças do que diferenças, as coisas fluem de um jeito bem mais fácil e a sinergia entre o casal não demora muito tempo para ser construída.

Bom, como nem tudo são flores, existem casos e casos de traição espalhados por aí. Certamente você já foi, ou conhece alguém que foi traído, e essa não é uma situação nada agradável. A infidelidade com certeza, é o principal pivô para o término de namoros ou casamentos, e acreditem, segundo pesquisas feitas no ano passado, 50% dos homens já traíram pelo menos uma vez na vida, enquanto o número feminino foi de 30%.

Nós vamos idealizando o amor que conhecemos através dos cinemas, algo que foi implantado em nossa sociedade de forma bastante discreta, e hoje acabamos achando que se não for para realmente amar alguém e ter um relacionamento perfeito e livre de traições, não dá certo.

Bom, a verdade é que lá no fundo, sabemos que as coisas não funcionam assim e que viver um relacionamento a prova de falhas não cabe dentro de nossas capacidades físicas e emocionais. Acontece que, de acordo com o autor Matthew Hussey, existem 3 tipos de pessoas que costumam trair bem mais que as outras. Seriam elas:

Pessoas Narcisistas

Você sabe o que é uma pessoa narcisista? Este é um conceito que vem da psicanálise e é utilizado para definir uma pessoa que admira exageradamente a si mesmo, alimentando uma paixão pela própria imagem que parece ser incontrolável.

O termo vem lá da mitologia grega, que conta a história de Narciso, um belo rapaz que recusou o amor da ninfa Eco, e como punição, foi condenado a se apaixonar pelo próprio reflexo na água, e não se aguentando de paixão, ele teria acabado cometendo suicídio, morrendo afogado.

Segundo Hussey, "para o narcisista é tudo sobre provar o quanto eles são adoráveis". Não bastaria ser amado por uma única pessoa, ele precisa mostrar pra si mesmo que todos a sua volta o amam. De acordo com estudos, as pessoas que possuem essa característica não se sentem tão comprometidas a um relacionamento duradouro, pois sempre tem em mente que podem encontrar alguém melhor.

Pessoas Inseguras

Bom, todo mundo tem seus momentos de insegurança, mas aqui não falamos desses que são comuns a todos. Pessoas que tem a natureza insegura, são aquelas que se sentem inferior a todo momento. Poderíamos até dizer que é o lado totalmente oposto do narcisista.

O inseguro não acredita ser capaz de conquistar o amor verdadeiro de alguém, não se acha o suficiente para aquela pessoa e acredita que ela poderá conseguir alguém melhor em qualquer canto por aí.

São também pessoas carentes que precisam de demonstrações a todo momento para conseguir seguir em frente. Aí é que mora o problema, pois se isso não acontece, eles acabam "confirmando" que não fazem diferença na vida da pessoa, e vão procurar por carinho em outros lugares, com outras pessoas, mas o sentimento acaba sendo sempre o mesmo.

Pessoas egoístas

Até que faz sentido, não é mesmo? De acordo com Hussey, os egoístas são os terceiros mais propensos a trair. Mas o que te faz ser egoísta? Tomar decisões que partem apenas do próprio ego, ou seja, pensar só em si mesmo e apenas no que vai te fazer bem, seria um bom resumo para responder a pergunta. O caso é que pessoas assim colocam suas opiniões, desejos, necessidades e interesses sempre em primeiro plano, sem se importar com o que os outros precisam ou sentem.

Os egoístas, ao contrário do que muitos pensam, conseguem se colocar no lugar do outro, mas não dão a mínima pra isso e é pouco relevante. Eles sabem que se sentiriam péssimos caso fossem traídos, e seria algo imperdoável, mas se eles forem os traidores, parece ser algo bastante normal. Ainda segundo Hussey: "Ou eles têm um código de ética diferente em particular para si mesmos - o que é simplesmente injusto - ou simplesmente são hipócritas".

E então pessoal, o que acham? Concordam com as ideias de Hussey? Diz aí pra gente, pelos comentários!

Isabela Ferreira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
COMPARTILHAR INSCREVA-SE

VER COMENTÁRIOS

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.