Esse novo sistema de som é tão forte que nenhum ser humano sobreviveria se escutasse

11/09/17 às 16h48

Existe muita gente por aí que é apaixonada por música, e mais que isso, apaixonada por equipamentos de som. Provavelmente você deve conhecer alguém que adora comprar equipamentos do tipo na intenção de turbinar o próprio carro, por exemplo. O som automotivo é um dos mais apreciados mundo afora e sempre nos deparamos com pessoas que tem essa paixão em comum.

É importante sempre lembrar que o som muito alto pode prejudicar nossa audição, mesmo que você apenas tenha o costume de escutar música com seus fones de ouvido. Colocar músicas para serem reproduzidas no volume mais alto que o celular pode suportar é algo muito arriscado e que apenas vai degradando sua audição aos poucos, é exatamente por isso que muitos aparelhos celulares de hoje em dia possuem uma funcionalidade que alerta quando o volume ultrapassa o limite considerado saudável, mas ainda assim, é algo ignorado por muitos.

Sons emitidos com frequência acima de 80 decibéis já são considerados maléficos, podendo não destruir a audição de imediato, mas sim de forma bem lenta... É realmente uma das coisas que pode te matar depois de algum tempo. Estima-se que 150 decibéis já são o suficiente para destruir nossa audição de forma instantânea, enquanto um valor superior a isso poderia nos levar à morte.

Mas diante de tudo que já conhecemos, será que existe mesmo algum tipo de som que seria capaz de nos matar? Bom, de acordo com a Agência Espacial Europeia (AEE) sim! Todos tremeriam diante do som liberado pelo imenso chifre sonoro que integra a Grande Instalação Acústica Européia (LEAF). Este é um equipamento desenvolvido pela AEE, fazendo com que satélites sejam capazes de produzir ruídos tão intensos quanto os foguetes quando estão no processo de decolagem e voam pela atmosfera... Acredite, é um barulho daqueles!

Encontrado em Noordwijk, uma cidade holandesa, e parte do Centro de Testes da Agência Espacial Europeia, chamado de ESTEDC, é uma das diversas instalações que praticam simulações de voos espaciais. Uma das paredes presentes na câmara de som tem nada menos que 11 metros de largura por 9 metros de profundidade, sem contar que ainda possui 16 metros de altura, e está equipada com um conjunto de chifres sonoros. Esses chifres são capazes de disparar nitrogênio com uma enorme gama de ruídos que podem superar 154 decibéis, produzindo um som como se vários foguetes estivessem sendo lançados ao mesmo tempo.

Mas é claro que uma das coisas que mais prezam é a segurança, portanto, para garantir que tudo saia dentro dos conformes e que ninguém saia ferido durante testes e experiências, a LEAF só pode funcionar quando todas suas portas estiverem devidamente fechadas. A sala possui um sistema à prova de som que conta com paredes de concreto reforçadas com aço para conter todo o ruído. As paredes ainda são revestidas com um tipo de resina epóxi, utilizada para refletir o barulho, criando dentro da câmara um campo de som totalmente uniforme.

E então pessoal, o que acharam? Já sabiam da existência desse equipamento e que seu ruído pode ser mortal para nós? Compartilhem suas ideias com a gente por meio dos comentários!

Via   ESA     io9  
Imagens ESA Pexels
Isabela Ferreira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
COMPARTILHAR INSCREVA-SE

VER COMENTÁRIOS

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.