Essa adolescente quebrou todos os esteriótipos e resolveu dançar balé

04/12/18 às 16h20

As crianças geralmente começam a pensar no trabalho ainda crianças. Quase todas já alimentam o sonho de tornar-se alguma coisa, como bombeiros, médicos, advogados, cantores, jogadores de futebol e bailarinos. No entanto, algumas delas apresentam algumas barreiras criadas pelos pensamentos das pessoas, como o ser bailarina, por exemplo. Quase todo mundo faz uma suposição equivocada a respeito do que as bailarinas têm que fazer e as veem de uma maneira determinada. No entanto, uma adolescente quebrou todos os estereótipos corporais no último ano. Tudo isso começou quando um vídeo de uma garota de 15 anos começou a circular na internet.

Nas imagens, podemos ver Lizzt Howell dando um show no balé. As pessoas a viram de cara como uma grande força nos palcos e pistas de dança. O seu vídeo tornou-se um viral, o que não admira ninguém, já que foi feito com grande leveza na dança. Na verdade, foi muito mais do que um sucesso na internet. Um ano depois, seu vídeo ainda impressiona espectadores do mundo inteiro. Isso acontece porque ao pensar em uma dançarina, uma pessoa como Lizzy é a útima a vir na mente, o que é muito ruim.

Hoje, com 17 anos de idade, Lizzy pode não ter a forma e o tamanho que a maioria das pessoas esperam, mas já provou que suas habilidades de balé são tão boas quanto de qualquer pessoa que pratique assiduamente. Isso não surpreende ninguém que convive com a dançarina, pois esse é seu sonho desde que ela tinha cinco anos de idade. Se alguém tem duvidas de como ela pode dançar, basta ver seus vídeos espalhados na internet. Howell virou uma dançaria incrível e inspiradora, provando a todos que não devemos julgar um livro pela capa.

É preciso ter muita flexibilidade para ser uma boa dançarina e, felizmente, Howell tem muito disso a oferecer. Além da dança, a jovem faz outras coisas, como natação e praticar futebol. Ela disse que se tivesse que escolher apenas uma atividade, seria sempre dançar. Ela diz que quando está triste ou chateada, dança para que o sentimento possa ir embora. Ela pratica balé duas vezes por semana e depois pratica jazz moderno, lírico e contemporâneo. A jovem muitas vezes pratica individualmente e às vezes passa finais de semana inteiros em eventos de dança, mas adora essa rotina.

Howell diz que o balé é a base de tudo na dança, então não há uma maneira de contornar isso. Ela diz que as pessoas geralmente estão preocupadas demais fazendo suas próprias coisas, assim não ficam observando ela dançar. Isso a deixa feliz e permite que se solte mais e seja ela mesma enquanto dança. Ao longo dos anos dançando, a menina conseguiu provar que é tão boa dançarina quanto as outras, ganhando então a confiança de sua professora que adora a dançarina.

E aí, o que você achou da história dessa jovem? Acredita no poder dos sonhos? Comenta pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos. Lembrando sempre que o seu feedback é extremamente importante para o nosso crescimento. Aproveite para fazer um tour por nosso site e mergulhe em um oceano de curiosidades.

VER COMENTÁRIOS
Via   Lifebuzz  
Imagens
Diogo Quiareli
Geminiano, 24 anos, goiano.
COMPARTILHAR INSCREVA-SE
As categorias Terror, Sobrenatural, CreppyPasta e entretenimento tem o único objetivo de entreter. Não devem ser utilizadas como fontes de artigos científicos ou trabalhos escolares.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.