8 vezes que pessoas se apaixonaram por assassinos brutais

12/06/17 às 17h12

Se o assunto é se apaixonar, certamente o natural é pensar num parceiro carinhos, respeitoso e capaz de maoferecer amor e consideração a todo tipo de pessoa, não é mesmo? Apesar disso, muita gente vive numa condição que busca quem desvia muito desse caminho.

A hibristofilia é uma condição na qual a pessoa desenvolve atração sexual por um parceiro que tenha cometido crimes graves e violentos. Também chamada de "Síndrome de Bonnie e Clyde", a condição ainda é misteriosa para a ciência, já que não existem muitos estudos sobre o assunto. Por causa disso, há muita sugestão das motivações para a atração.

Alguns acreditam que os apaixonados se veem como responsável pela salvação dos criminosos, querendo cuidar deles ou recuperá-los, enquanto outros defendem que o clima da prisão pode demonstrar uma espécie de segurança do relacionamento, sem ameaças externas que poderiam causar ciúmes, por exemplo.

Independente da razão, vários criminosos vivem sob os holofotes de admiradores o tempo todo, incluindo vivendo histórias de amor que surgem daí. Vamos conhecer as histórias de alguns deles.

1 - Marcos Antunes Trigueiro

Marcos Antunes Trigueiro, o maníaco de Contagem, foi acusado de roubar, estuprar e matar cinco mulheres em Minas Gerais. Ainda assim, várias outras mulheres se dedicaram a mandar cartas declarando amor ao criminoso, inclusive com pedidos de casamento. De acordo com o advogado do condenado, Rodrigo Bizzotto, as mulheres o consideram um homem bonito e falam que ele é inteligente, o que provocaria a atração mesmo depois da condenação pelos crimes bárbaros.

2 - Richard Ramirez

Richard Ramirez ficou conhecido como "Night Stalker" (ou perseguido da noite, em inglês) depois que aterrorizou Los Angeles e São Francisco, nos Estados Unidos, em meados da década de 80. Ao menos 14 pessoas foram vítima de tortura, estupro e morte em suas mãos, o que não impediu que ele encontrasse um verdadeiro amor. Doreen Lioy se identificou com o criminoso, o descrevendo como "gentil, engraçado, encantador e uma grande pessoa." Ela ainda defendia que ele era inocente de seus crimes. Enquanto Ramirez ainda estava na cadeia, recebeu 75 cartas escritas por Doreen e se casou com a mulher.

3 - Ted Bundy

Ted Bundy era considerado um homem atraente por muitos que o conheciam, o que continuou uma verdade mesmo depois dele matar ao menos 30 mulheres, na década de 70. Durante seus julgamentos, Bundy acabou contando com a ajuda e o sentimento de uma colega de trabalha que acreditava em sua inocência: Carole Ann Boone. No terceiro e último julgamento, Bundy pediu a mulher em casamento na frente do júri e ela disse sim. Apesar de nunca ter recebido visitas conjugais, Bundy conseguiu engravidar a mulher depois que ejaculou dentro de um preservativo e passou para Carole por meio de um beijo.

4 - Thiago da Rocha

O serial killer de Goiânia Thiago Henrique Gomes da Rocha foi apontado como principal suspeito de matar 39 pessoas, a maioria mulheres, e acusado pela maioria dos crimes. Apesar disso, não despertou somente medo e desprezo entre as pessoas. Na verdade, Thiago se tornou um dos galãs do presídio e um campeão de cartas recebidas. Segundo uma das advogadas de Thiago, Brunna Moreno de Miranda, ela e as colegas que atuam no caso recebem mensagens frequentes de mulheres interessadas no criminoso. Para elas, é comum receber e-mails e mensagens de celular com pedidos para conhecer o rapaz, que está na cadeia.

5 - Mikhail Popkov

Mikhail Popkok é um ex-policial russo que ficou conhecido pelo apelido "O Lobisomem" depois que estuprou e assassinou ao menos 22 mulheres de forma violenta. Mesmo depois de confessar todos os crimes e ter o DNA coletado para provar a sua participação em todos eles, sua esposa se manteve apaixonada e confiante em sua inocência. "Estamos casados há 28 anos. Se eu suspeitasse de algo errado, é claro que iria me divorciar dele", declarou Elena Popkov em uma entrevista.

6 - Charles Manson

Além de ser um dos serial killers mais famosos do mundo, Charles Manson também figura os mais populares casos de hibristofilia. Ele e sua mulher, Afton Elaine Burton, se conheceram por meio de cartas enviadas por ela enquanto ele estava na prisão. Manson já havia recebido mensagens de várias outras mulheres, mas só ela foi capaz de chamar a atenção do criminoso.

O casal chegou a conseguir licença para casamento, mas Manson cancelou a cerimônia de última hora. De acordo com informações sobre o relacionamento, ele desistiu disso pois ficou sabendo que a mulher tinha planos de controlar legalmente o cadáver do marido depois de sua morte, para usá-lo como atração turística.

7 - Francisco de Assis Pereira

O nome Francisco de Assis Pereira pode não te dizer muito, já que o criminoso ficou famoso em todo o país sob o codinome Maníaco do Parque, no fim da década de 1990. O Maníaco foi condenado a 274 anos de prisão, acusado de 10 mortes e 11 ataques sexuais.

Mesmo com um currículo perigoso e condenável, ele se tornou um dos detentos que mais receberam cartas de amor na prisão. Somente em seu primeiro mês de cadeia, foram mais de mil mensagens.

Dentre todas as admiradoras, o Maníaco do Parque encontrou a pós-graduada em história Marisa Mendes Levy, que se tornou sua mulher. A história de amor e o sucesso do criminoso chamou tanto a atenção que deu origem ao livro Loucas de Amor, de Gilmar Rodrigues.

8 - Susan Atkins

Integrante da Família Manson, Susan Atkins também foi condenada por homicídios, recebendo sentença de pena de morte na prisão. Apesar disso, a mulher conseguiu escapar da injeção letal e transformar sua condenação em prisão perpétua. Antes de sua morte, em 2009, ela colecionou uma porção de admiradores, mas apenas um deles chamou a sua atenção. Em 1981, ela acabou se casando com o milionário Donald Lee Laisure.

Apesar do casal viver uma vida aparentemente feliz, o casamento chegou ao fim quando Susan descobriu que Laisure não era realmente honesto quando o assunto era sua fortuna. Porém, ela se envolveu num outro relacionamento e se casou com o estudante de direito de Harvard James Whitehouse, com quem ficou até sua morte.

O que achou das histórias de amor envolvendo criminosos? Qual você achou mais interessante? Conte para a gente e marque seus amigos que se interessam por esse tipo de curiosidade.

PH Mota
Jornalista que é um encontro Monty Python e A Praça É Nossa.
COMPARTILHAR INSCREVA-SE

VER COMENTÁRIOS

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.