8 segredos obscuros que o Google não quer que você saiba

04/08/17 às 16h46

Se você chegou até aqui, com certeza conhece e utiliza os serviços e ferramentas do Google. A empresa de tecnologias foi fundada em 1998 e desde então se popularizou como maior serviço de buscas do mundo, além de incorporar outros nomes de destaque, como o YouTube, por exemplo.

Apesar de várias funcionalidades úteis e da presença no dia-a-dia de todo mundo que usa a internet, a empresa também tem seus segredos obscuros nos bastidores. Alguns deles podem não fazer tanta diferença para os usuários, mas outros podem mostrar uma faceta mais controversa do Google.

Aqui estão alguns dos segredos que o Google não quer que você saiba.

1 - O Google faz o que quer com dados de outras companhias

Frequentemente, o Google consegue coletar dados por meio de aplicativos desenvolvidos por outras empresas, mas lida com isso de formas bem controversas. Quando funcionários da empresa conseguiram acessar dados do navegador Safari por meio de um programa de anúncios, eles culparam a Apple por não impedi-los da invasão.

Além disso, a empresa ameaçou divulgar como tinham feito tudo, caso o código não fosse reparado. É como se ladrões roubassem um banco e deixassem um recado dizendo que os cofres precisariam ser reforçados ou o segredo do roubo seria revelado para todo o mundo. Dá pra acreditar?

2 - Seus carros se motorista estão redefinindo políticas de governo

Por meio dos carros sem motoristas, o Google pretende inventar um mercado e uma indústria que ainda não fazem parte de nossa realidade. Alguns documentos públicos mostraram que a empresa tem uma relação extremamente próxima com políticos, na intenção de alterar e criar leis que permitam a existência do carro e liberte a fabricação de controles do governo.

Alguns podem argumentar que a prática de aproximação de empresários de legisladores já é comum, mas se o Google realmente acreditasse nos valores que divulga, talvez estaria tentando quebrar essa prática controversa, ao invés de dar seguimento a ela.

3 - Seus escritórios modernos são armadilhas para os funcionários

O complexo do Google tem mais de 47 mil metros quadrados, na Califórnia, onde trabalha um terço dos funcionários. Além dos escritórios, o local conta com quadra de vôlei, pista de boliche e jardim de vegetais e ervas orgânicas, só para citar algumas vantagens. Apesar disso, nem todo mundo acredita que o ambiente é sinal de altruísmo corporativo. A experiência é desenvolvida para que os funcionários fiquem na empresa por muito mais tempo, segundo Bob Sutton, professor da Universidade de Stanford.

Ainda assim, alguns defendem que as políticas podem ser positivas. O Google possui cerca de $50 bilhões em dinheiro, então investir no ambiente de trabalho é algo inteligente. "Mesmo que seja uma manipulação. (...) Se eu posso usar uma academia incrível no Google ao invés de pagar uma fortuna para malhar, por que eu não usaria?", comenta Eric Sundstrom, professor da Universidade do Tennessee.

4 - Acusações de racismo e discriminação

Algumas experiências mostram que os serviços de AdWords e AdSene pode ser responsável por algumas práticas preconceituosas e racistas. A pesquisa de certos nomes ou termos pode oferecer publicidades ligadas a criminalidade ou problemas sociais. Um estudo do Adsense encontrou "estatísticas significantes de discriminação em anúncios baseados em buscas de 2.184 nomes associados a grupos raciais em dois websites" nos Estados Unidos. Se você procurar um nome no Google que está historicamente associado a grupos étnicos ou sociais de minoria, está mais sujeito a receber anúncios ligados a conselhos judiciais e advogados criminais, por exemplo.

5 - Novos sistemas operacionais para dispositivos móveis podem ser problemáticos

O sistema operacional do Google para celulares e tablets, Android, já teve dez versões desde seu lançamento, em setembro de 2008 (com exceção de atualizações menores). Apesar dos consumidores terem acesso a centenas de smartphones e tablets com o sistema, especialistas em tecnologia dizem que as coisas nem sempre vão bem para aqueles que querem fazer download da última versão do software. "É necessário muito desenvolvimento de um fabricante para customizar o Android para cada modelo de smartphone ou tablet", explica Jonathan Rick, especialista em comunicações digitais.

De acordo com o Google, as últimas atualizações ficam disponíveis para as empresas fabricantes, mas cabe a elas adaptar o programa para seus smartphones. Porém, o processo costuma ser lento. O Android 2.3, lançado em dezembro de 2013, ainda é a versão mais popular do sistema operacional, estando ativa em cerca de 24% de todos os dispositivos Android, enquanto a mais recente, 4.1, só está em 1,8% dos aparelhos.

6 - O Google não se importa com sua reputação pessoal

Essa é uma péssima notícia para quem se depara com coisas que não gosta sobre si mesmo no serviço de busca mais popular do planeta: não tem muito o que você pode fazer quanto a isso. Para conseguir remover qualquer coisa do Google, você vai precisar de um processo legal e muita paciência. Segundo a empresa, as únicas razões que podem causar a remoção de algum tipo de conteúdo são decisões judiciais ou questões de direitos autorais. Porém, uma ação judicial contra o Google ou um grande site pode vir com seus próprios riscos, já que pode acabar chamando mais atenção para o problema.

7 - O Google guarda seus dados e espiona você

O Google nunca esquece. Tudo o que você produz na internet, principalmente nos sites conectados aos sistemas da empresa, é permanente. Para completar, em 2013, o The Guardian publicou as revelações de Edward Snowden sobre o programa de espionagem da NSA e mostrou que praticamente todas as empresas do Vale do Sicílio, incluindo o Google, participaram do processo. Além disso, o Google chegou a realizar parcerias com o governo chinês para remover menções ao Massacre na Praça da Paz Celestial, em 1989, mostrando que estão dispostos a relações controversas.

8 - Todo o alcance da empresa é incalculável

Existem vários aspectos do Google, sejam bons ou ruins, que não cabem em uma matéria desse tipo simplesmente porque a empresa é grande demais e extremamente complexa. Nós podemos até listar todos os valores movimentados pela empresa ou todos os departamentos envolvidos no Google, mas como tudo realmente funciona e todo o alcance potencial de cada setor e ferramenta vai muito além de nossa compreensão. Por causa disso, provavelmente nunca entenderemos como o Google realmente funciona, o que é bom para eles.

O que achou dos segredos do maior serviço de busca do mundo? Comente com a gente e não deixe de compartilhar a matéria.

PH Mota
Jornalista que é um encontro Monty Python e A Praça É Nossa.
COMPARTILHAR INSCREVA-SE

VER COMENTÁRIOS

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.