7 raças de cães que possuem “superpoderes”

13/09/17 às 18h44

Quem é que não gosta da companhia de um cachorro, não é mesmo? Não é atoa que sempre são chamados de melhores amigos do homem, já que são um dos animais mais fiéis de que se tem conhecimento. Bom, acontece que desde muito tempo atrás eles são usados pelos humanos principalmente para caçar, prática que os transformaram na boa companhia que conhecemos hoje.

Por incrível que pareça, alguns cães possuem habilidades que são realmente admiráveis e podem ser encaradas até mesmo como "superpoderes". Alguns foram desenvolvidos com propósitos muito específicos... Pensando nisso separamos abaixo 7 raças que possuem características peculiares. Confere aí!

1 - Cofap e seu poder de matar texugos

Mais conhecido mesmo como cachorro salsicha, seus pequenos braços que mais parecem com os de um T-Rex, chamam atenção para o cão. Podem ocupar o nono lugar entre os cães mais populares dos Estados Unidos atualmente, sempre escolhida por sua graça, literalmente. As pessoas gostam de rir do jeito desengonçado do cachorro.

Mas por trás de seu pequeno e grande tamanho, suas características foram desenvolvidas com um propósito muito bem definido. Seu corpo longo, nariz pontudo e patas curtas, combinado com a agressividade natural que o cão pode desenvolver, são excelentes para o trabalho no qual foram designados: assassinar texugos.

Exatamente! Seu corpo comprido permite que ele caminhe por baixo de túneis e seu nariz mais largo facilita sua respiração, tudo isso para que se saia melhor em suas caçadas. Seu nome científico é dachshund, que curiosamente pode ser traduzido como "guerreiro de texugo".

2 - O Cão leopardo de Catahoula e seu poder de escalar altas árvores

Este é o cachorro oficial da Louisiana, e por incrível que pareça, sua origem não é muito certa. Alguns dizem que foram os colonos franceses que cruzaram os cães que trabalhavam com eles com lobos vermelhos, enquanto alguns outros afirmam que os nativos americanos cruzaram seus cães com outros cães de guerra de Hernando de Soto, há 300 anos atrás.

Seu porte físico não aparenta, mas eles possuem a habilidade de escalar árvore, por mais que ela seja alta. O provável é que os criadores do animal não tinham nenhum tipo de pretensão quanto a isso e foi uma característica que desenvolveram apenas com o tempo. Era muito difícil de se conseguir comida antigamente e esses animais constantemente eram deixados sozinhos, e tudo indica que precisam subir em árvores para pegar animais menores caso quisessem se alimentar. Sua inteligência também é um ponto forte, sem contar que ode ser um incrível nadador.

3 - Shar-pei e o poder da sua "pele solta"

Essa raça que é oriunda da China e que parece ter a cara amassada, literalmente, possui algumas habilidades bem estranhas. Por incrível que possa parecer, ele foi projetado para caçar javalis, com a  ajuda da pele solta de seu rosto. Bom, esses cães possuem cerca de 45 a 50 centímetros e não pesam mais que 30 quilos, o que teoricamente, não seria páreo para toda a fúria de um javali.

Acontece que sua pele flácida e cheia de gorduras foi desta forma desenvolvida, para fazer com que o javali possa simplesmente mordê-la, dando a oportunidade ao cão de se mover e contra atacar sem ficar completamente preso. A pele na verdade é uma arma!

4 - Os Dálmatas auxiliam bombeiros por uma boa razão

Pode ser que não vejamos muitos dálmatas auxiliando bombeiros por essas bandas de cá, mas no exterior eles são frequentemente convocados como um reforço. É uma raça antiga e originária da Croácia, que foi muito usada principalmente para acompanhar diligências (carruagens puxadas por cavalos), já que ao contrário de outros cães, eles se dão muito bem com os cavalos. Bom, eles foram associados aos bombeiros porque não tinham medo de fogo, no caso de incêndios.

Antigamente os bombeiros andavam em carruagens de madeira que por sinal, eram inflamáveis, e os dálmatas iam na frente limpando o caminho e até mesmo acalmando os cavalos, estes, que tinham sim medo de fogo. Quando chegavam ao local do incêndio os cães protegiam o veículo dos homens contra ladrões. Atualmente, os carros de bombeiros já não são mais os mesmos, mas muitos dálmatas continuam trabalhando pelo valor que eles tem, e pelo o que representaram há anos atrás.

5 - As orelhas do Basset Hound podem ser ótimos rastreadores

Bom, com certeza estes não são os cães mais bonitos do mundo, mas possuem uma habilidade que poderia ser invejável caso os animais tivessem esse tipo de sentimento: pode trabalhar como um rastreador. Foi desenvolvido na intenção de rastrear e caçar coelhos, e assim como o salsichinha, pode ser algo bem estranho para um cão pequeno, de patas curtas e que vive babando, se for comparado com um coelho, que parece ser sempre muito ágil.

Por mais que apresente tais características, seu incrível olfato e e sua longas e sensíveis orelhas ajudam muito no processo de caça. Tudo isso faz com que eles sejam muito perspicazes na busca por um coelho, e o contato de suas orelhas com o chão é que dá a ele seus superpoderes, visto que permite um melhor rastreamento. É por isso que eles são usados em filmes e desenhos como companhia garantida de caçadores humanos.

6 - Leão da Rodésia e o poder da coragem

 

Houve uma época em que o Zimbábue era chamado de Rodésia, e os colonos europeus que estavam na África passavam por situações difíceis tendo que lidar com paisagens e animais assustadores. omo já era de se esperar, eles almejavam ter a cabeça de alguns daqueles animais expostos em suas casas, como um troféu.

Os cães que estevam com eles eram bons caçadores de veados e raposas, mas isso não se comparava aos leões, obviamente. Resolveram então cruzar seus animais com cães  Khoikhoi, que eram considerados semisselvagens e pertenciam a moradores locais. Foi então que surgiu o cão Leão da Rodésia.

Os cães eram usados para atrair e perseguir leões, capazes de fazer armadilhas para levá-los até seus donos que simplesmente, atiravam nos pobres felinos. Os cães são imunes às picadas de inseto e se mostram também ótimos corredores, podendo acompanhar seus donos a cavalo por cerca de 50 quilômetros.

7 - Cães que atiram

Apenas para finalizar nossa lista, mencionaremos os cães atiradores. Assim como já percebemos, os cães sempre foram de alguma forma associados à caça, seja por uma característica particular ou apenas pela companhia. É uma prática antiga e que remonta gerações, mas que nem sempre pode ser a melhor opção.

Quem é que já pensou em deixar uma arma com seu cão? Pois é, algumas pessoas tem essa incrível ideia achando que nada acontecerá. Se você fizer uma rápida pesquisa no Google encontrará centenas de casos de cães que acabaram atirando em seus donos. Um caso aconteceu na Nova Zelândia, onde um homem foi atingido na bunda por seu cachorro... Imagine só!

E então pessoal, o que acharam? Compartilhem suas ideias com a gente aí pelos comentários!

Isabela Ferreira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
COMPARTILHAR INSCREVA-SE

VER COMENTÁRIOS

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.