7 livros aparentemente normais que têm histórias bizarras

05/12/18 às 16h41

Desde a sua invenção, a escrita foi uma grande válvula de escape para os humanos. Nós expressamos sentimentos, pensamentos a respeito da vida, sobre nós mesmos, sobre o mundo e colocamos no papel aquilo que realmente acreditamos. Desde pequenas cartas a livros inteiros, eles contam histórias que podem ser de fácil leitura e podem ser achados em qualquer livraria, ou podem ser mais obscuros.

Existem alguns livros que são tão complexos que as perguntas sobre o que os autores queriam dizer com eles, ou os mundos que são apresentados nas obras, são tão indecifráveis que ninguém sabe ao certo o que se passava na cabeça de quem escreveu. Desde o começo da humanidade, livros bizarros e estranhos existiram e aqui falamos de alguns deles.

1 - O Codex Mendoza

Ele é uma ilustração asteca de 1541 e mostra a história detalhada do povo asteca, seus reis, estilos de vida, cultura e outros aspectos. Ele foi escrito para o rei da Espanha e precisou de muitas explicações para ser entendido. Mas no caminho, ele nunca chegou ao seu destino e o navio em que ele estava foi saqueado por piratas franceses. Ainda assim, acabou chegando na França.

Depois de um tempo um homem chamado Richard Hakluyt comprou o Codex e o levou para a Inglaterra, mas por causa da linguagem ninguém sabia o que a ilustração dizia na verdade. Em 1659, ele foi entregue à Biblioteca Bodleiana na Universidade de Oxford cinco anos depois que o seu último dono tinha morrido. Ele ficou nas prateleiras por 172 anos, até que em 1831, os estudiosos consideraram um documento legítimo.

2 - O princípio de Lúcifer

Esse livro não é uma publicação escondida na obscuridade, mas ele aparece na lista pelo clamor que teve com seu público, e algumas pessoas sugeriram que ele usava a ciência para tentar promover o mal. O livro mostra que o mal não é uma coisa indesejável da existência humana, mas que na verdade é uma força construtiva.

O que ele mostra é que as pessoas são inerentes ao mau em vários aspectos. O que ele diz é que a mãe natureza é brutal, violenta e destrutiva. Ela faz suas criações a partir da destruição e de um ciclo interminável de criação e destruição. E em algumas versões do livro, as capas se gabam de terem sido proibidas.

3 - O rolo de Ripley

Esse texto inglês tem um cunho alquímico e ocultista que é cheio de mistérios. Quem escreveu a obra foi o inglês George Ripley. O conteúdo é de difícil compreensão e sua datação só piora nessa descoberta. E como a maioria das obras medievais, elas são lidas como contos de outro mundo.

Superficialmente, a obra parece explicar o funcionamento interno da alquimia e como transformar os metais básicos em ouro. Essa obra, como tantas outras obras de alquimia, são tidas como tendo intenções ocultas em metáforas e simbolismo.

4 - Escrituras Satânicas

Esse livro escrito por Peter Gilmore é uma coleção de ensaios, ideias e comentários sociais que foram ofuscados pelo trabalho da Bíblia Satânica de Anton Lavey. Nesse livro, ele discute tópicos como casamento dos satanistas. E o livro continua falando sobre os outros princípios satânicos.

Gilmore chega a comparar as pessoas à buracos negros, dizendo que algumas têm a capacidade de atrair outras pra sua esfera de influência. Existem vários capítulos desse livro disponíveis online.

5 - O Codex Rohonc

Desde o seu surgimento no século XIX ele é praticamente indecifrável. Já foi visto por estudiosos, linguistas e decifradores de códigos mas eles não conseguiram decodificar nem mesmo uma palavra. Até porque elas não foram vistas nem mesmo como derivadas de alguma linguagem antiga. Essa obra foi escrita com uma intenção obscura e por isso foi feita de forma codificada pelos seus autores.

A obra é presumida ser de 1743. Ela é cheia de mistérios, inclusive sobre sua nacionalidade, mas acredita-se que ela pertenceu a um húngaro e pode ter sido um livro de orações. A primeira aparição da mesma foi em 1838.

6 - Prodigiorum Ac Ostentorum Chronicon

Essa obra é conhecida também por As Crônicas de Portentos e Profecias e foi escrita em 1557. Ela é como se fosse um almanaque das crenças humanas, passando por monstros, pelo cometa Halley e Adão e Eva. Ele também é cheio de profecias sombrias.

As ilustrações da obra são coisas que habitavam os pesadelos medievais e pragas terrestres, como gafanhotos devorando a Terra.

7 - Os codex de Nag Hammadi

Essa obra é na verdade um coleção grande de manuscritos cristãos que ficaram enterrados no deserto egípcio por 1.600 anos e foram achados em 1945. O que esse conjunto forma é a base do gnosticismo cristão. Várias coisas foram deixadas de fora da bíblia por razões políticas e religiosas e é exatamente isso que esse codex vem trazer à tona.

Esses 52 textos, divididos em 13 volumes, dão relatos alternativos para a história de Jesus. Eles fazem com que as pessoas pensem em novas alegorias e considerem mudanças na história que tomaram como verdade e isso mudaria completamente o cristianismo e a Igreja tradicional.

VER COMENTÁRIOS
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
COMPARTILHAR INSCREVA-SE
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.