10 mistérios mais terríveis do Triângulo das Bermudas

30/05/17 às 16h04

O Triângulo das Bermudas é um local no Oceano Atlântico que compreende uma faixa que vai da Flórida, nos Estados Unidos, até as ilhas Bermudas, para Porto Rico e de volta à Flórida. Ainda hoje, é um dos maiores mistérios da humanidade, mesmo que alguns defendam que não é mesmo um mistério.

O termo foi utilizado pela primeira vez num artigo de Vincent H. Gaddis para a revista Argosy, em 1964. No artigo, ele defende que nesse local, um grande número de barcos e aviões desapareceram sem nenhuma explicação. Gaddis não foi o primeiro a chegar a essa conclusão, no entanto. Ainda em 1952, George X. Sands, num relato da revista Fate, também percebeu um estranho número de acidentes na região.

Alguns autores sugerem que isso pode ser causado por uma anomalia geológica que afeta algumas bússolas (alegando, inclusive, que Cristóvão Colombo já tinha percebido o fenômeno em 1492). Outros teorizam que erupções de gás metano no fundo do oceano pode afetar a densidade do oceano, que não consegue sustentar os barcos. O resultado é o naufrágio de cada um deles.

Enquanto nós ainda não temos a resposta definitiva, vamos conferir os maiores mistérios sem respostas que ainda estão conectados com o Triângulo.

1 - Voo 441

Em 30 de outubro de 1954, o voo 441 transportava 42 passageiros, incluindo fuzileiros navais norte-americanos e seus familiares. Assim como em vários outros casos no Triângulo das Bermudas, o avião perdeu a comunicação com as torres de comando e desapareceu de vista sem nenhum pedido de socorro do piloto. Nenhum destroço ou tripulante jamais foi encontrado na época e nenhuma investigação feita depois sobre o caso conseguiu explicar o que poderia ter acontecido.

2 - B.S.A.A. Star Tiger

O desaparecimento desse avião em janeiro de 1948 é similar ao do voo 441. O voo da British South American Airways desapareceu com 25 passageiros e seis tripulantes enquanto sobrevoava o Oceano Atlântico. O último contato com a aeronave foi feita às 3h da manhã por meio de rádios, mas nenhuma informação numa mais apareceu. Não houve chamadas de emergência e ninguém sabe o que pode ter acontecido com o avião entre 3h e 3h50, quando o contato seguinte aconteceu.

3 - Carroll A. Deering

O Deering saiu dos Estados Unidos em direção ao Rio de Janeiro em agosto de 1920 com um carregamento de carvão e fez uma viagem tranquila. Porém, durante o retorno a embarcação acabou desaparecendo e foi encontrada perto da Carolina do Norte, em janeiro de 1921. Dentro do Deering não havia nenhum equipamento, tripulante ou bote salva-vidas. Nenhuma informação oficial sobre a tripulação jamais foi descoberta.

4 - Ellen Austin

Ellen Austin era uma escuna que navegava entre Londres e Nova York passando pela região do Triângulo das Bermudas. Em 1881, durante uma das viagens, passou por outra embarcação que apresentava boa velocidade. Quando a tripulação do Ellen abordou o outro barco percebeu que não havia nada dentro dele. Nenhum equipamento e nenhuma pessoa. O capitão decidiu assumir o comando do novo barco, mas acabou separado do seu grupo por conta de uma forte tempestade. Desde então, o navio nunca mais foi encontrado.

5 - Witchcraft

O Witchcraft era um cruzador marítimo comandando por Daniel S. Burack em dezembro de 1967. Na intenção de ver as luzes de Natal da costa de Miami à distância, se afastou da praia. Precisando de ajuda, o capitão entrou em contato com a guarda costeira local. Quando o resgate chegou, 19 minutos depois, não encontraram nenhum sinal do barco, tripulantes ou destroços. Durante os próximos seis dias, 39 mil quilômetros do oceano foram buscados, mas nenhuma pista nunca foi encontrada.

6 - SS El Faro

SS El Faro era uma embarcação de carga de mais de 240m de comprimento que traçou uma rota pelo meio do Triângulo das Bermudas, carregando uma tripulação de 33 pessoas, em setembro de 2015. Quando uma tempestade tropical provocou um furacão no meio do mar, a comunicação com a embarcação foi cortada, mas não sem antes o capitão informar que o barco estava sem motor e tombando para um lado. Depois de algumas semanas, o El Faro foi encontrado no fundo do mar, sem nenhum traço dos sobreviventes por perto.

7 - Trislander

Até o caso do SS El Faro, o Trislander era a vítima mais recente do Triângulo das Bermudas. Em dezembro de 2008, o avião de três motores saiu de Santiago, no Chile, para Nova York, nos Estados Unidos, carregando 12 passageiros. Com apenas 35 minutos de voo, o Trislander desapareceu dos radares e nunca mais foi encontrado, apesar de uma busca massiva realizada pela guarda costeira norte-americana.

8 - Douglas DC-3

Douglas Dakota, ou DC-3, foi um dos modelos de avião mais confiáveis já produzidos na história. O voo da aeronave decolou em dezembro de 1948, de Porto Rico a Miami. O tempo estava normal a apenas 20 minutos do fim do voo, mas a aeronave simplesmente desapareceu no ar enquanto passava pela região do Triângulo das Bermudas. Apesar das águas no locai serem cristalinas, não foi possível encontrar nenhum destroço do avião, dos 28 passageiros e dos três tripulantes.

9 - U.S.S. Cyclops

O U.S.S. Cyclops foi um navio gigante construído ainda antes da Primeira Guerra Mundial, pelos Estados Unidos. Em fevereiro de 1918, a embarcação deixou o Brasil na direção de Baltimore, mas nunca chegou ao destino final. Com 309 pessoas à bordo, o navio simplesmente desapareceu. Várias missões de busca foram realizadas no suposto trajeto da viagem, mas nada foi encontrado. Há especulações que dizem que o barco pode ter sido afundado ou sequestrado por um submarino alemão, mas isso nunca foi confirmado. Nos registros, o navio foi apontado como vítima de uma forte tempestade, mas a verdade sobre o caso ainda é um mistério.

10 - Voo 19

O caso assustador do Voo 19 é, ainda hoje, um dos mais assustadores da história quando se fala de Triângulo das Bermudas. Em dezembro de 1945, um grupo de cinco aeronaves que recebeu o nome de Voo 19 saiu para uma sessão de treinamento e precisou lidar com problemas de leitura nas bússolas. Enquanto os aviões buscavam por um terreno segura, acabaram se perdendo. Todos os 14 tripulantes da missão desapareceram, assim como os 13 da expedição de busca lançada no mar após o acidente. Apesar de buscas realizadas no oceano e no solo, nunca foram encontrados corpos ou destroços.

Ficou intrigado com os casos? Qual deles mais te impressionou? Conhece outros episódios assustadores no local? Conte tudo para a gente nos comentários.

PH Mota
Jornalista que é um encontro Monty Python e A Praça É Nossa.
COMPARTILHAR INSCREVA-SE

VER COMENTÁRIOS

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.