Esse livro é uma compilação de várias fotos que foram proibidas pelo Instagram

20/04/17 às 11h16

Vocês já tiveram alguma foto "barrada" pelo Instagram? Bom, para quem não sabe, existe uma censura no Instagram para, digamos assim, fotos "indecentes". Mas não só isso, a rede social também censura fotos que tem conteúdo de violência, racismo, ódio, e todas as coisas que vem a ser ilegais na rede social.

Nos termos de uso da rede, vocês pode encontrar o seguinte trecho: "Você não pode publicar fotos ou outros tipos de conteúdo que sugiram violência, nudez, nudez parcial, discriminação, atos ilegais, transgressões, ódio, pornografia ou sexo por meio do serviço." E ainda completa com: "Se você vir algo que possa violar as nossas diretrizes, por favor colabore com a gente usando a opção de denúncia. Temos uma equipe internacional que analisa essas denúncias e age rapidamente para remover os conteúdos que violam nossas normas."

Diante disso, várias e várias fotos da rede social são censuradas, mas as vezes, algumas fotos que nem são ofensivas , por alguns motivo, são excluídas do Instagram. Tendo isso em mente, a fotógrafa sueca Arvida Byström e a artista digital porto-riquena Molly Soda, começaram um projeto com fotos vetadas pelo Instagram, e por meio de uma plataforma, pediu para que os usuários enviassem fotos censuradas pela rede social. Já leu a nossa matéria que mostra qual foi a foto mais curtida do Instagram de todos os tempos?

Foi então que elas criaram um livro chamado "Pics or it didn't happen: images banned from Instagram, que na tradução literal significa Se você não fotografou, não aconteceu: imagens banidas do Instagram", em tradução livre. A maioria das imagens do livro são de mulheres, e no prefácio da publicação, elas fizeram questão de deixar bem claro o seguinte: "Não surpreendentemente, essas políticas (do Instagram) têm sido uma fonte de tensão e debate para muitas pessoas criativas que usam a rede social como uma forma de expressão pessoal."

O livro aborda um grande leque de temas como fotos de menstruação, nudes, imagens de relações sexuais, tudo que é tabu para algumas pessoas e para outras é algo normal. Boa parte das fotos do livro são de mulheres, principalmente de artistas visuais como a canadense Petra Collins, a argentina Amalia Ulman, a poeta indiana Rupi Kaur e a fotógrafa britânica Harley Weir.

As duas criadoras desse projeto ficaram muito conhecidas por uma plataforma digital onde esse tipo de imagem pode ser divulga, no famoso Tublr. Soda diz que foi muito interessante selecionar imagens proibidas na rede social e afirma que não ficou tão surpreendida ao saber que a maioria era de mulheres, até porque, mamilos femininos são proibidos, mas os masculinos não. "Os corpos femininos são mais sexualizados e mais propensos a serem censurados", afirmou a artista. Outras imagens retratam apenas pelos do corpo feminino e da aceitação ou rejeição a certos tipos de corpos em relação a outros.

Em entrevista ao jornal The Independent, Molly Soda disse que "o livro vai além do feminismo. É sobre a internet e sobre como a sociedade percebe os corpos e a maneira como regulamos isso", e sendo assim, elas também abordaram outros grupos, como transexuais e negros.

Em questionamento da BBC para a rede social Instagram sobre a polêmica da censura de mamilos, eles responderam o seguinte: ""trata-se de encontrar um equilíbrio entre permitir que as pessoas se expressem de forma criativa e manter o Instagram como um ambiente divertido e seguro."

Mas e você, qual a opinião sobre o assunto? Acha que realmente deve existir essa censura do Instagram, até para os mamilos femininos? Não esqueça de deixar seu comentário!

Via   BBC  
Mateus Graff
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
COMPARTILHAR INSCREVA-SE

VER COMENTÁRIOS

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.