Esse é, provavelmente, o lugar onde Jesus teria realizado o milagre da multiplicação

10/08/17 às 19h00

Arqueólogos acreditam que podem ter encontrado a cidade romana perdida de Julias, lar de três apóstolos de Jesus, segundo a Bíblia. Um sítio arqueológico descoberto na costa norte do Mar da Galileia, na Reserva do Vale de Betsaida seria o local onde viveram os seguidores de Cristo Pedro, André e Felipe.

A descoberta chave dos pesquisadores foi uma casa de banho no estilo romano escavada em el-Araj. A construção indica que havia uma cidade na região, e não só uma pequena vila formada por pescadores, segundo o Dr. Mordechai Aviam, da Faculdade Kinneret.

Os novos resultados arqueológicos podem acrescentar muito ao debate sobre a localização exata de uma das cidades mais importantes do Novo Testamento.

No fim do primeiro século, o historiador judeu Josephus descreveu como a pequena vila de pescadores de Betsaida se tornou uma grande cidade greco-romana, uma pólis, durante o reinado de Filipe o Tetrarca, no ano 30 D.C. Na ocasião, Filipe, filho de Herodes o Grande, renomeou a cidade como Julias, em homenagem à mãe do imperador Tibério.

De acordo com os arqueólogos, a casa de banhos escavada em el-Araj data de um período entre o primeiro e o terceiro século, o que pode ser evidência de que um grande assentamento urbano existiu no lugar, muito provavelmente a cidade de Betsaida.

Segundo os evangelhos bíblicos, Betsaida era a casa dos primeiros apóstolos que seguiam Jesus, além de ser o local em que o filho de Deus teria curado um cego e realizado o milagre da multiplicação de pães.

Apesar disso, um outro lugar reconhecido como Betsaida já existe na área. Desde 1839, a região de e-Tell foi identificada como possível local para a cidade de Betsaida/Julias. O Projeto de Escavações Betsaida pesquisa a área desde 1987 e já encontrou várias fortificações da Idade do Ferro (século 9 A.C>), assim como construções do período Helenístico (século 2 A.C.) e casas com equipamentos de pescas e templos romanos.

Vários arqueólogos, no entanto, questionam a identificação de e-Tell como a Betsaida do Novo Testamento, defendendo que o sítio arqueológico é muito longe da costa para ser um centro de pesca. Além disso, alguns acreditam que os achados romanos acumulados ao longo de três décadas de escavações são insignificantes para pertencer a uma grande e importante cidade da época.

Além dos vestígios de uma casa de banho romana - incluindo um mosaico no chão, telhas e chaminés -, arqueólogos também encontraram evidências de muralhas do século 5 e estilhaços de mosaicos de vidro em el-Araj. Esses achados sugerem a existência de uma importante igreja na região durante o período Bizantino, já que eles só apareciam em igrejas consideradas importantes.

Segundo Steven Notley, professor de Novo Testamento e Origens Cristãs na Faculdade Nyack e diretor das escavações em el-Araj, somente uma pequena área na região foi escavada até agora. Ele acredita que as próximas escavações devem revelar mais sobre o passado do sítio arqueológico e sua possível identificação com Betsaida, casa dos antigos apóstolos e milagres de Jesus.

O que achou da descoberta? Não deixe de comentar com a gente e compartilhar a matéria com os seus contatos!

PH Mota
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
COMPARTILHAR INSCREVA-SE

VER COMENTÁRIOS

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.