7 coisas bizarras que já fizeram com sangue

21/07/17 às 15h31

Falar de sangue é um assunto muito complicado para muita gente, seja porque só de ver já passa mal, ou mesmo porque acha que existem assuntos muito mais interessantes. O fato é que desde que a humanidade habita a Terra, animais são mortos diariamente para o consumo, e claro, dali vem muito sangue.

Mas o que será que faziam com esse sangue? Bom, muitos acabavam transformando em algum tipo de bebida ou ainda utilizavam no processo de cozimento do animal com o passar da história, mas hoje em dia isso não é muito bem aceito.

A verdade é que existem muitos materiais que já foram feitos a base de sangue animal, desde comidas até mesmo coisas que nem poderíamos imaginar. Alguns deles talvez possamos encontrar até hoje, outros já foram substituídos por produtos sintéticos. Pensando nisso, separamos 7 desses materiais pra vocês conferirem. Dá uma olhada!

1 - Plástico

Isso mesmo, existe um plástico feito a base sangue. O plástico tem o nome de Bois Durci, e foi patenteado no ano de 1855, por Francois Charles Lepage. O material foi desenvolvido misturando-se sangue de vaca, serragem e alguns outros produtos químicos, que depois eram submetidos a calor e pressão.

Resultava em um produto denso, muito parecido com madeira, mas era utilizado mesmo para fazer quadros e coisas do tipo. No ano de 1887, um norte americano conseguiu desenvolver um plástico que poderia ser equivalente ao Bois Durci, porém, mais tarde, esses materiais ficaram obsoletos.

2 - Já substituiu a gordura

Não é novidade pra ninguém que a maioria das carnes possui muita gordura, especialmente as processadas. Foi pensando nisso que indústrias desse ramo procuram por soluções que diminuam o teor de gordura de seus produtos, e encontraram em algumas substâncias do sangue a resposta para o problema.

Como o sangue possui proteínas, seus valores calóricos são bem menores que a gordura em si, o que poderia ser bem mais atraente a seus consumidores finais, sem contar que sairia mais barato para a própria indústria. Foram desenvolvidos alguns testes que usavam o plasma do sangue de vacas como substituto da gordura. Foram submetidas aos testes 25 pessoas, que disseram que o sabor final não é muito diferente entre os dois.

3 -  Suplemento de ferro

O sangue é uma boa fonte de ferro, e estudos mostraram que este foi um ingrediente muito eficaz no tratamento contra anemia. Pesquisas realizadas no Chile desenvolvem leite fortificado com hemoglobina de vaca, utilizando 15 miligramas de ferro retirado do sangue por litro, e dizem que não é uma quantidade suficiente para alterar o sabor, mas a coloração realmente muda um pouco. A verdade é que o experimento não deu muito certo pois o leite acabava estragando, então, recorreram a fazer o mesmo teste em cookies (biscoitos).

Estudos semelhantes foram realizados no México e em nosso próprio país, onde crianças que tinham baixas taxas de ferro no organismo, receberam os tais "biscoitos de sangue", e foi notada uma melhora significativa dentro de poucos meses.

4 - Substituto do ovo

O sangue já foi utilizado em sopas, por exemplo, para substituir a função de ovos. Isso porque ambos tem uma estrutura bastante parecida, principalmente porque os dois possuem a proteína chamada Albumina. Na Segunda Guerra, por exemplo, o plasma sanguíneo era muito utilizado em alimentos, substituindo os ovos. Dependendo do tipo de alimento que será preparado, e do animal de onde o sangue é proveniente, ele pode substituir parcialmente, ou mesmo totalmente a eficácia de um ovo.

5 - Sangue no concreto

Já parou pra se perguntar como ainda existem traços da arquitetura da Antiga Roma? Como pode ser tão resistente às ações temporais? Bom, a  explicação pode estar em ingrediente especial que era usado no concreto: o sangue. Ao adicionar sangue animal ao concreto tradicional, ele criava pequenas bolhas de ar depois de ser misturado, o que fazia com que ele se tornasse mais resistente e durável.

Uma empresa francesa inventou o Airlith, um novo tipo de concreto que é feito com sangue animal em pó e outros 2 produtos químicos a base de celulose. Também cria bolhas de ar, e a empresa afirma que desta forma, o concreto se torna pelo menos, 40% mais resistente que o normal.

6 - Cola ou adesivo

Este sem dúvida tem uma antiga história, já que foi desenvolvido antes mesmo da Segunda Guerra. Foram desenvolvidas em diversos países e para isso, pode ser usado sangue de vaca, galinha, boi, enfim. Durante muito tempo, elas foram as colas mais resistentes à água que já existiram, mas ainda assim, essa mistura de sangue e aldeído não eram impermeáveis. Durante a Segunda Guerra seu uso aumentou muito, sendo utilizado em aeronaves. Algum tempo depois, essas colas acabaram sendo substituídas por resinas sintéticas que eram muito mais eficazes.

7 - Surimi

Para quem não conhece, o surimi é uma pasta à base de peixe e é usada para a produção de imitações de alguns frutos do mar. Por mais que tenha origens japonesas, é bastante consumido nos Estados Unidos, onde utilizam o bacalhau para fazer a pasta. Acontece que o peixe muitas vezes é infectado por parasitas que deixam cistos ali, e por mais que não seja prejudicial ao ser humano, faz com que o peixe se desintegre de forma muito fácil, e isso faz com que ele perca bastante valor de mercado.

Muitas tentativas foram feitas na intenção de encontrar um inibidor enzimático, mas só encontraram a real solução no sangue de vaca. Seu uso deixa o peixe conservado por muito mais tempo, sem contar que o deixa com uma textura muito mais adequada. Depois do surto da vaca louca, o uso do sangue de vaca foi proibido em muitos países, mas tempos depois, recorreram ao sangue de outros animais, a exemplo do frango e do porco.

E então pessoal, o que acharam? Diz aí pra gente nos comentários!

Isabela Ferreira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
COMPARTILHAR INSCREVA-SE

VER COMENTÁRIOS

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.